voltar para a página-site do Dr. Dolci

 

                                               Zumbido no ouvido: mais comum (e mais cedo) do que se pensa.
 

 

 

Van Gogh, 1889, Autorretrato com a orelha cortada

por Dr. José Eduardo Lutaif Dolci


Uma novidade que ocorre frequentemente em nossos dias, é o
aparecimento de problemas auditivos em um número bastante significativo de jovens.

Os altos sons das baladas e raves, os equipamentos sofisticados (e cada vez mais acessíveis) instalados nos automóveis, o uso contínuo de fones de ouvido e até os ruídos das grandes cidades, (que muitas vezes ultrapassam o máximo de decibéis tolerados pelos seres humanos, sem apresentar danos perceptíveis) tudo isso deixa bem clara a razão pela qual cada vez mais pessoas ainda jovens apresentam o famoso “zumbido” ou tinnitus, como se diz na otorrinolaringologia.

Pesquisas revelaram que
a maioria dos jovens diz apresentar o zumbido logo após sair de um ambiente onde a música é muito alta ou depois de utilizar por muito tempo os fones de ouvido em volume alto. Quase um terço desses jovens apresentavam níveis de zumbido compatíveis com os níveis encontrados em adultos mais idosos, mas, mesmo assim, muitos deles afirmaram não dar importância a isso, não comentando nem com seus pais e acreditando não necessitar de ajuda médica.

O zumbido, porém, é uma causa frequente de consulta médica nos consultórios de otorrinos e ele é, muitas vezes, o primeiro sintoma da perda auditiva.

90% dos casos de zumbido estão relacionados à exposição excessiva ao barulho. Mas existem outras razões para que esse ruído que não está no ambiente, mas apenas na pessoa que o escuta, apareça: alterações metabólicas, como diabetes, tireoide e colesterol; alterações neurológicas, como esclerose múltipla, traumatismo craniano, meningite e alterações cardiovasculares, como a hipertensão ou a insuficiência cardíaca.
O uso contínuo de alguns medicamentos, como aspirina, anti-inflamatórios e antidepressivos também podem ser a causa do aparecimento do zumbido, além de alguns hábitos alimentares como o consumo excessivo de gorduras, açúcar branco, cafeína, vinho tinto e fumo.

Danos nas terminações microscópicas do nervo auditivo no ouvido interno, rigidez dos ossos do ouvido médio, uma ruptura na membrana do tímpano levam ao zumbido.

Portanto,
por ter inúmeras causas e, da identificação dessas causas depender a orientação para o tratamento, na presença de zumbido uma visita ao otorrino é absolutamente imprescindível.