voltar para a página-site do Dr. Francisco Pacca

 

Alerta do Dentista a quem tem doenças ósseas.
por Dr. Francisco Pacca

 

   

(Pieter Claez, 1630, Vanitas)

 

Bisfosfonatos:

1ª geração etidronato (didronel)
2ª geração alendronato/pamidronato(alendronato, pamdosa)
3ª geração residronato e zolendronato (actonel, zometa)
 

Alguns Nomes Comerciais:

Aredia
Actonel
Adronat
Didronel
Sivacta
Bonviva
Adrovance
Fosavance
Protelos

 


Se você sofre de alguma doença que ataque seus ossos, como a osteoporose (tão frequente em mulheres no climatério), doença de Paget, alterações do metabolismo do cálcio ou alguns tipos de câncer, seu médico pode, com toda a propriedade, receitar a você medicamentos da classe dos bisfosfonatos.

Existem vários tipos de bisfosfonatos, administrados por via oral ou intravenosa (injeções)
Você já ouviu falar neles e, no quadro ao lado, os identificará com facilidade.

Esses medicamentos, porém, a despeito de sua eficácia, são associados a uma complicação que afeta maxila e mandíbula e é chamada

Osteonecrose dos Maxilares.

Pode-se considerar que o paciente tem osteonecrose associada a medicamento (osteoquimionecrose) quando este apresenta o problema por mais de oito semanas e não foi submetido à radioterapia dos maxilares. Exames vão confirmar o diagnóstico, pois os pacientes podem permanecer assintomáticos por semanas, meses e até por anos.

Assim, há que se observar os fatores de risco para a osteoquimionecrose:
- O uso de bisfosfonatos injetáveis, o tempo de uso da medicação, o uso de corticóides, o consumo de álcool, cirurgias e extrações dentárias, doença periodontal.

Portanto, antes de inciar o tratamento com os bisfosfonatos, é interessante acostumar-se a manter uma higiene oral rigorosa, dimuniuir (ou eliminar) o consumo de álcool e cigarros e submeter-se a um exame odontológico completo.

Estima-se que 20% dos usuários de bisfosfonatos acabem sofrendo a osteonecrose dos maxilares, mas esse dado não coincide com a nossa casuística. A maioria dos casos ocorre em mulheres, em pacientes que se submeteram a extração de dentes e/ou colocação de implantes, mas não está descartada a ocorrência espontânea da doença.

Implantes podem ser colocados apenas em pacientes que fazem uso dos bisfosfonatos por via oral e por tempo curto.

Cabe ao dentista avaliar se a indicação do bisfosfonato vale o risco de uma necrose óssea. Por isso, antes de iniciar o tratamento com essas medicações, visite um cirurgião dentista de sua confiança.