voltar para a página-site do Dr. Francisco Pacca

 

Vencendo a resistência ao Implante de dentes (Tudo o que você precisa saber)
por Prof. Dr. Francisco Pacca

 

Os implantes odontológicos se mostram como a melhor solução, até hoje, para a substituição de dentes perdidos, seja por doença, por idade ou por acidente. No entanto, ainda existe quem tenha resistência a eles.
Aqui, você fica sabendo tudo o que precisa para colocar em ordem, via implante (s), o seu sorriso, a sua mastigação e a sua saúde odontológica.
 

Rob Gonsalves, Assim como em cima, embaixo

 


Há décadas a medicina ortopédica usa o titânio em suas próteses ósseas. O titânio foi o material de escolha porque pode ficar dentro do corpo humano sem sofrer nenhuma espécie de corrosão e principalmente porque nosso corpo não o rejeita. Ou seja: é um material amigável.

São de titânio os pinos (parafusos) que serão introduzidos na sua gengiva, em substituição à raiz perdida do dente que ali estava. O que ocorre é que os ossos que estão em volta, no seu maxilar, “abraçam” esse pino de titânio: isso é a “osteointegração”, em linguagem de cirurgião-dentista. Ou seja, você tem agora uma nova “raiz”, com uma parte para fora e, nessa parte, será colocada uma prótese, um novo dente esculpido para ser o substituto, como um clone, do dente que você perdeu.
Basicamente, grosso modo, é isso o implante.

Para substituir a dentadura e/ou as pontes móveis, quando você precisa colocar vários (ou todos) dentes de volta na boca, o dentista vai elaborar um projeto onde uma nova prótese será fixada sobre alguns implantes, estrategicamente distribuídos na sua boca de maneira que você sentirá, no cotidiano, como se tivesse de volta a sua dentição natural.

Não existe idade para a colocação de implantes. E só há contraindicação quando o paciente apresenta alguns poucos problemas de saúde que impedem o sucesso do procedimento. Mas há também aqueles pacientes que não possuem (ou não possuem mais) a estrutura óssea suficiente para que os pinos do implante sejam colocados ali, sob a gengiva. Nesses casos, é possível resolver fazendo enxertos ósseos no local e, mais tarde, colocando os implantes ou então usando procedimentos que resultarão num aumento da quantidade de osso naquele local, procedimentos esses que ainda são muito novos, que implicam riscos que, embora remotos, devem ser de conhecimento dos pacientes que queiram se submeter a eles.

A colocação do implante é um procedimento cirúrgico, comumente realizado sob anestesia local, no consultório, em uma hora ou hora e meia. A prótese, nesse caso o dente “provisório” é colocado imediatamente. No caso de próteses totais, as que substituem por exemplo, a dentadura, cerca de três dias após a cirurgia.

As taxas de sucesso são de 90% para os dentes superiores e 97% para os inferiores. Se os implantes nenhum problema apresentarem nos primeiros anos de uso, eles durarão por toda a sua vida.

Essas são as razões para você perceber que implantes são, de fato, o melhor investimento na recuperação da sua saúde bucal, tanto estética quando funcionalmente.