voltar para a página do escritor

 

O Encontro Casual com um facto histórico

e a fotografia desaparecida.

Victor Meirelles, Combate Naval de Riachuelo

por Antonio A Albuquerque (Dick Haskins)

 

 

Foi em 5 de Agosto de 1943, em pleno Atlântico, numa viagem dos Açores para Portugal Continental; mais precisamente, na metade final do percurso do Funchal para Lisboa. Era o cair da noite e o  navio navegava num «mar de rosas» enquanto o Sol declinava no horizonte e a visibilidade se mantinha nítida, extraordinária!

           

Eu tinha apenas treze anos, fora aprovado no exame liceal para o quarto ano e o prémio então concedido pelos meus Pais satisfizera os dois desejos que lhes manifestara: uma câmara fotográfica lançada pela Kodak nesse ano, a Brownie Special, com a qual era possível obter instantâneos ou poses de extraordinária nitidez sem a menor dificuldade, e umas férias na Ilha de S.Miguel, na quinta de familiares.

 

É um facto comprovado que a memória remota, ao contrário da recente, se mantém viva, mesmo  no que respeita a pormenores – particularmente os que mais nos terão marcado -, estou neste preciso momento a reviver o que se desenrolou no anoitecer de 5 de Agosto. Passeava no convés do paquete «Lima» antes do jantar, devido ao facto de a sala de refeições se encontrar lotada, e era o único passageiro que o fazia nesse momento preciso. Então, avistei no horizonte um combóio naval composto por 23 vasos de guerra norte-americanos e principiava a aproximar-se um deles do «Lima». Cortando subitamente a tranquilidade que nos rodeava, o ruído dos motores  de dois «caças» que tinham levantado voo do porta-aviões e noa sobrevoavam em voos «picados». de observação…

           

A tranquilidade daquele anoitecer foi brusca e chocantemente quebrada: aterrorizados (creio que seja este  o termo mais correcto),os passageiros adultos tomaram consciência do perigo que estariam a correr a partir daquele momento inesperado, abandonaram a  sala de refeições precipitadamente, tendo havido mesmo perda dos sentidos de alguns deles, e refugiaram-se nos respectivos camarotes, o que não deixou de me surpreender, apesar de adolescente, considerando que – em face de um  muito pouco provável ataque por parte dos norte-americanos, aos quais Portugal já tinha cedido o direito de livre utilização da Base dos Açores – - não era o local mais aconselhado de refúgio em face a um ataque.

           

 Então, despreocupado e encarando o acontecimento como uma das diversas cenas focadas nos filmes produzido e exibidos no período do conflito mundial, dirigi-me apressadamente ao meu camarote para trazer a máquina e fotografar o inesperado acontecimento que acabava de nos surpreender. Desconhecendo, naturalmente, que iria conseguir obter um instantâneo inédito, que ninguém mais fotografou  ( já nenhum outro passageiro se encontrava presente e os empregados da sala de refeições estariam ocupados em recolher fragmentos de loiça partida e na limpeza de restos espalhados no chão), obtive a imagem da deslocação militar das Forças Norte-Americanas que se deslocavam para a Invasão da Itália, uma das primeiras importantes ofensivas levadas a efeito contra a derrota do nazismo e o fim do conflito mundial.

           

Naturalmente, e através da comunicação luminosa por morse, os Norte-Americanos comunicaram com o Comandante do Lima transmitindo-lhe diversas instruções, sendo uma delas a ordem expressa de nos mantermos quatro horas no local onde nos encontrávamos, antes de prosseguirmos a viagem, o que foi francamente suportável dada a tranquilidade do Atlântico naquele Agosto de 1943…

 

            O instantâneo inédito acompanhou-me ao longo dos anos, nunca me preocupei em obter ampliações a partir do negativo e reconheço que o devia ter feito… porque a única cópia revelada que possuía e o próprio negativo desapareceram até ao momento sem qualquer justificação aceitável! Tencionava ilustrar este programa com uma ampliação fotográfica e lamento não poder fazê-lo neste momento. Diz-se que «a esperança é a última  morrer»… e espero, portanto, ter a oportunidade de ainda encontrar o instantâneo obtido e, se assim for, este texto será novamente publicado com a ilustração desejada…       

 
 

COMENTE