DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS (DST)

antigamente chamadas Doenças Venéreas, por causa da deusa Vênus

 

 

PARTE 3

por DRA. ALBERTINA DUARTE

 

 causadas por VÍRUS

 

HEPATITE A

•        Agente causador: vírus da Hepatite A.

•        Formas de contágio: em geral, é adquirida através de água e alimentos contaminados. O contágio sexual é raro, relacionado ao beijo (a saliva contém o vírus), ao sexo anal, seguido de oral, ou do contato direto boca-ânus.

•        Sintomas: algumas pessoas apresentam quadro clínico que se confunde com a gripe comum. Mas, na maioria dos casos, ocorre o seguinte: de 2 a 6 semanas após a incubação a pele fica amarelada, a urina escurece, há febre, dores no corpo e o fígado “incha”.

•        Complicações: se a orientação médica for seguida à ris¬ca, a recuperação será completa. Independentemente de tais cuidados, porém, em raríssimos casos, a Hepati¬te A pode ser fatal.

HEPATITE B

•        Agente causador: vírus da Hepatite B.

•        Formas de contágio: contato com sangue contaminado, através de seringa mal-esterilizada, transfusões, peque¬nos ferimentos, beijos, tatuagens e, até, tratamentos odontológicos realizados por dentista portador. A via sexual tem papel importante, durante a relação vaginal ou, em especial, a anal, há sempre pequenas lacerações nas mucosas, que sangram; elas tanto propiciam a en¬trada do vírus como podem contaminar pelo sangue.

•        Sintomas: após incubar por 2 a 6 meses, a pessoa cos¬tuma apresentar os mesmos sintomas da Hepatite A.

•        Complicações: quase sempre, 3 meses depois, o doen¬te está totalmente curado. Em 15%, o vírus da Hepa¬tite B permanece ativo por um ano ou mais. É a hepatite crônica, que pode ser benigna — o fígado não sofre lesões graves. Mas há ocorrências em que a moléstia evolui para cirrose ou mesmo câncer de fí¬gado. Não existe remédio eficaz contra o vírus B.

•        Atenção: hoje, a vacina contra Hepatite B já se en¬contra disponível na maioria dos Postos de Saúde. Procure vacinar-se.

Vênus de Boticelli (detalhe)

CITOMEGALO VIROSE

•        Agente causador: Citomegalovírus.

•        Formas de contágio: a mais importante é pela transfusão de sangue. Eventualmente, pelo beijo e pelo sexo oral. O Citomegalovírus pode atingir o feto através da placenta.

•        Sintomas: a maioria dos contaminados não apresen¬ta sintomas. Mas quando a moléstia se manifesta, pro¬duz febre e gânglios inchados.

•        Complicações: somente há problema quando as pró¬prias defesas do organismo não conseguem inativar o vírus, devido à deficiência imunológica. Aí ele fica latente e pode conduzir a uma infecção disseminada grave, com comprometimento do sistema nervoso, do pulmão e do fígado. Se adquirida na gestação, a mo¬léstia pode causar, entre outras conseqüências, altera¬ções neurológicas, retardo mental e cegueira no feto.

HERPES GENITAL

•        Agente causador: Herpesvirus homonis tipo II. Porém, devido à prática do sexo oral, o Herpesvirus homonis tipo I, que tem como habitat natural a boca, está sendo encontrado também na região genital. E vice-versa.

•        Formas de contágio: a via principal do vírus tipo II é o contato sexual; raramente, roupas infectadas são a fonte do contágio. Já o vírus tipo I é adquirido pela troca de beijo com alguém contaminado. Importan¬te: a transmissão somente ocorre quando o Herpes está em atividade (fase das bolhinhas).

•        Sintomas: a doença pode manifestar-se em vários órgãos; vulva, vagina, colo do útero, uretra, pênis, virilha e região anal. Em geral, 5 dias após o contágio, determinados pontos da região urogenital coçam, incham ou ficam apenas irritados. Mais 2 dias e no local aparecem inúmeras bolhinhas dolorosas e cheias de líquido transparente. Estas duram em média outros 2/3 dias e, geral¬mente, são acompanhadas de febre, músculos dolori¬dos, virilhas inchadas, “queimação” ao urinar e, se localizadas na região anal, dor durante a evacuação. Após esse tempo, quando rompem, um líquido escorre, deixando na pele um machucado doloroso, capaz de sangrar ao menor raspão. Durante os 7 dias seguintes, aos poucos, forma-se uma crosta e o machucado seca.

•        Complicações: como ainda não existe remédio para destruir o vírus do Herpes, este, uma vez adquirido, permanecerá no organismo. Daí que uma parcela dos afetados tem crises recorrentes, às vezes até mensais. Nesse período, as relações sexuais devem ser interrom¬pidas, para não contaminar o parceiro. Entre os fato¬res desencadeantes dos surtos, encontram-se: exposições excessivas ao sol, uso de drogas imunossupressoras, problemas emocionais, estado geral debilitado, mens¬truação, mudanças de temperatura e de altitude.

•        Atenção: gestantes com Herpes em atividade devem fazer o parto cesariana, para evitar a contaminação do bebê. A doença o levaria a correr risco de vida ou a ter lesões do cérebro, além de outras doenças gra¬ves, devido à fragilidade do sistema imunológico.

VERRUGAS GENITAIS (crista-de-galo, cavalo de crista)

•        Agente causador: Humam pappilomavirus (HPV), ou Papilomavírus humano. Seis tipos atacam a região genital: HPV 6b, 11, 16, 18, 31 e 35.

•        Formas de contágio: em 90% das contaminações, as verrugas são adquiridas mediante contato sexual com pessoa infectada. Os 10% restantes talvez sejam por roupas, locais e objetos contaminados por alguém doente. Isso explica, em parte, por que as crianças também têm verrugas genitais.

•        Sintomas: o vírus aloja-se preferencialmente na pele que reveste o pênis e a vulva, mas pode fixar-se também na uretra, na vagina, no colo do útero e no ânus. Depois de 1 a 3 meses de incubação começam a aparecer as verrugas, que mudam de aspecto conforme a região: vermelhas, lisinhas, algumas vezes planas, outras for¬mando pequenas elevações (se localizadas nas mucosas internas, como na vagina); já as encontradas no ex¬terior, como na vulva, têm uma camada córnea, gros¬sa, que lembra uma verruga comum. Independente da localização, elas podem estar isoladas ou agrupadas.

•        Complicações: o não tratamento precoce pode ocasi¬onar a proliferação das lesões em número e tamanho. Há indicações de que estas verrugas são um dos fatores de risco que podem determinar, passados 12 a 15 anos, o aparecimento de câncer no pênis, na vagi¬na, no colo do útero e na vulva, em pessoas com pre¬disposição cancerígena genética. Talvez elas sejam fator de risco, também, para os tumores no ânus. Inclusive estão relacionadas com o sexo oral e, além disso, as gestantes afetadas na vagina podem conta¬minar a cavidade bucal do bebê. E há casos em que a lesão cresce tanto, que exige cirurgia.

MOLUSCO CONTAGIOSO (acne molusco contagioso, acne umbilicado, bolinha)

•        Agente causador: vírus do Molusco contagioso.

•        Formas de contágio: nos adultos, quase sempre por via sexual. Outras formas: pelo uso comum de lençóis, roupas e toalhas, logo após alguém infectado tê-lo feito ou, então, pelo contato imediato com objetos, como sofás, camas, cadeiras e mesas, em que uma pessoa doente tenha deixado vírus, além do contágio pelo contato de uma pele sadia com uma pele de pessoa que tenha esta infecção. Mas as maiores vítimas são as crianças.

•        Sintomas: com 2 semanas a 2 meses de incubação, este vírus faz surgir na pele do infectado pequenas elevações (“bolinhas”) que podem ser isoladas; o mais pro¬vável, contudo, é acumularem-se várias na mesma área, agrupando-se. Estas “bolinhas” se caracterizam por terem uma cor rosa-brilhante ou do tom da pele; outras vezes mostram-se amareladas ou de cor péro¬la. Seu formato é arredondado ou semi-arredonda- do; em geral, no centro da lesão há uma leve depressão, como se fosse um umbiguinho. E seu ta¬manho atinge meio centímetro de diâmetro; às ve¬zes, até alcançam o tamanho de uma pequena moeda.

•        Importante: nos adultos, o mais comum é o vírus loca¬lizar-se no púbis, no pênis, nas virilhas e nas partes interna da coxa e inferior do abdômen.

•        Complicações: às vezes, a doença regride espontaneamen¬te; se não, as lesões permanecem de meses até anos, caso não sejam tratadas, e, aí, contaminam outras partes do

corpo. Ocasionalmente, as maiores podem inflamar-se, assemelhando-se a furúnculos. O perigo maior é quando se localizam em locais perto do olho, como nariz, fronte e pálpebra. Nessas situações, podem desencadear dois distúrbios oftalmológicos: conjuntivite — inflama¬ção das membranas que formam a parte externa do globo ocular e a interna das pálpebras —; e a ceratite crônica

—      um espessamento da córnea, que dificulta a visão.

AIDS

•        Agente causador: vírus HIV (Human Imunodeficiency Virus)

•        Formas de contágio:

✓       pelo sangue contaminado através de transfusão;

pelo uso comum de agulhas, seringas e dos recipientes de diluição de drogas por usuários;

✓       pela transa sem camisinha com qualquer pessoa, seja ela conhecida, casada, solteira, namorada etc.;

✓       pelas transas (relações) tanto orais, quanto vaginais ou anais.

Importante: o vírus HIV entra no corpo e ataca os glóbulos brancos (Linfócitos), responsáveis pela defesa do sistema imunológico. O organismo fica sem proteção contra germes e a pessoa começa a ter uma infecção após outra — são as chamadas infecções oportunistas, que muitas vezes se tornam infecções graves.

•        Atenção: este vírus pode ficar no organismo por anos sem dar sinal da existência da doença. Por isso, se a pessoa tiver alguma dúvida, é importante fazer o teste anti-HIV. E, caso venha a saber que é “soro-positivo” (que tem o vírus), a pessoa deve tomar cuidado de não contaminar outras pessoas nem de se recontaminar (aumentar sua carga viral) e de encontrar o acompanhamento médico adequado.

•        Complicações: desde que foi descoberta, em 1983, a Aids tem sido responsável por centenas de milhares de mortes em todo mundo. Existem, atualmente, mais de 36 mi¬lhões de pessoas infectadas pelo vírus do HIV, sendo que a grande maioria vai desenvolver os sintomas da doença nos próximos anos. Infelizmente a ciência ainda não descobriu a cura da doença, mas há medica¬mentos que ajudam as pessoas a viverem melhor.                                           

                                                                                                                                                                          VOLTAR PARA A PÁGINA DA DOUTORA